NOTÍCIAS
 
 

Sinditêxtil-SP fecha parceria com a Agência USP de Inovação

 
 

Alfredo Emílio Bonduki, presidente do Sinditêxtil-SP, participa de reunião para assinatura de acordo com Agência USP

O Sinditêxtil-SP e a ABIT e o fecharam ontem, dia 05 de dezembro, acordo com a Agência USP de Inovação para o lançamento do Programa Tecendo a Inovação, voltado para o desenvolvimento do setor têxtil do Estado de São Paulo.

O projeto tem como objetivo estabelecer um Plano de Formação, potencializando e ampliando as possibilidades do Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Têxtil e Moda, e impulsionando a formação de universitários brasileiros e o próprio setor.

Durante o encontro, foram propostas duas linhas a serem executadas: missões temporárias de professores e especialistas mundiais para ministrar temas específicos no Mestrado em Têxtil e Moda da Universidade de São Paulo e a realização de intercâmbios dos professores e alunos deste Mestrado para a realização de pesquisas, cursos e práticas em centros universitários têxteis da Europa e Estados Unidos.

A Universidade de São Paulo já dispõe de convênios com a Universidade Politécnica de Catalunha (Espanha), com a qual já foi estabelecida cooperação com o Instituto de Investigación Têxtil y Cooperación Industrial de Terrassa (INTEXTER), com mais de 50 anos de atuação e pesquisa na área têxtil.

Segundo o coordenador da Agência USP, prof. Dr. Wanderlei Salvador Bagnato, a universidade tem o dever de contribuir com a sociedade em tudo o que for possível. “Precisamos inovar mais. As coisas mudam rapidamente e necessitamos tornar nossas empresas mais competitivas. Temos que unir empresários e pesquisadores e sensibilizar as agências de investimento, como o BNDES para esta situação”, disse.

Alfredo Emílio Bonduki, presidente do Sinditêxtil-SP, disse que este é o principal papel de uma universidade pública, ou seja, de devolver à sociedade os investimentos que os cidadãos depositam nela. “Esta parceria é importantíssima para o setor têxtil, pois será na inovação que vamos diferenciar e gerar competitividade. Este trabalho que apoiaremos a partir de agora é o que pode gerar a diferença”, finalizou.