NOTÍCIAS
 
 

Sinditêxtil-SP encerra 2011 com homenagem a personalidades
que
contribuíram para o setor têxtil

 
Josué Gomes da Silva, Aguinaldo Diniz Filho e Alfredo Emílio Bonduki, durante descerração do quadro de Rafael Cervone

A última reunião de 2011 do Conselho de Administração do Sinditêxtil-SP em conjunto com a ABIT foi marcada por homenagens e alertas sobre a conjuntura da indústria têxtil brasileira. Empresários e autoridades públicas reuniram-se, em 2 de dezembro, na sede das entidades, em São Paulo (SP) para prestigiar os homenageados da noite.

As condecorações começaram com a descerração do quadro do presidente emérito do Sinditêxtil-SP, Rafael Cervone, líder do sindicato de 2005 a 2010. A cerimônia contou com discursos emocionados de Ricardo Pereira Leite, presidente da Companhia de Habitação de São Paulo (COHAB/SP), Josué Christiano Gomes da Silva, vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Alfredo Emílio Bonduki, atual presidente do Sinditêxtil-SP e Aguinaldo Diniz Filho, presidente da ABIT, que enfatizaram o trabalho de Cervone a frente do sindicato.

 
Rafael Cervone e Alfredo Emílio Bonduki
 
“Para mim, é um grande desafio falar sobre as ações e a coragem do grande companheiro Rafael. Hoje, sou seu sucessor e tenho a árdua tarefa de dar continuidade aos seus pleitos, que foram muitos e que ajudaram a fortalecer a indústria têxtil paulista”, atribuiu Alfredo Emílio Bonduki.

Emocionado, Cervone agradeceu pela condecoração e relembrou momentos vividos durante seus dois mandatos na liderança do Sinditêxtil-SP. “É com muita honra que recebo esse quadro que me coloca ao lado de outras importantes figuras do setor têxtil brasileiro. Passei por muitos desafios, enquanto presidente desta entidade, mas não os abandonarei. Vamos continuar nossa luta”, discursou.

Em seguida, a sede das entidades se tornou palco de mais uma homenagem a um dos maiores ícones da indústria têxtil e de confecção do País. O empresário Fuad Mattar, administrador do centenário grupo Paramount Têxteis, foi agraciado com a “Medalha do Mérito ABIT”, condecoração concedida às pessoas e instituições, nacionais ou estrangeiras, dignas do reconhecimento e da admiração do setor. Em 2010, a honraria foi oferecida ao vice-presidente da República José Alencar (1931-2011).

Ao receber a condecoração, o empresário proferiu um discurso emocionado e ao mesmo tempo intenso, destacando a pujança e o pioneirismo da indústria têxtil e de confecção brasileira, que vem perdendo espaço no mercado por falta de condições isonômicas de competitividade. “Já demos incontáveis provas de competência, excelência, modernidade e arrojo ao longo de décadas, mas estamos sofrendo um desleal, predatório e inédito ataque por parte de indústrias incentivadas por seus governos, em especial os de países asiáticos”, lamentou Mattar.

 
 
Alfredo Emílio Bonduki cumprimenta Fuad Mattar pela homenagem recebida
O outro homenageado da noite foi o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que não pôde comparecer ao evento. Mantega também foi condecorado com a “Medalha do Mérito ABIT” por suas ações em reconhecimento da importância da indústria têxtil e de confecção para a economia nacional.

O encontro contou ainda com a participação do economista Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores, que fez um panorama macroeconômico e setorial para 2012. De acordo com o especialista, o Brasil é um dos poucos países que não terá tantos problemas no próximo ano. “Com toda a Europa em crise, o ‘cabo de guerra’ de moedas será o ponto alto do período”, afirmou. Já para a indústria têxtil e de confecção, Castro ressaltou que os empresários deverão adotar medidas radicais e criativas para conseguir se estabilizar. “Com o cenário atual, novas atitudes são bem vindas”, avalia.

Encerrando a comemoração, as entidades ofereceram seu tradicional coquetel de fim de ano para autoridades, empresários e profissionais do setor.