NOTÍCIAS
 
 

Frente Parlamentar: reunião itinerante chega a São Paulo


Defesa comercial em relação a importações desleais, guerra fiscal, câmbio e a alta carga tributária praticada no Brasil foram temas recorrentes na terceira reunião itinerante da Frente Parlamentar Mista “José Alencar” para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecção, que aconteceu no dia 12 de setembro, na escola SENAI Francisco Matarazzo, na capital paulista. Parlamentares, empresários, sindicalistas e trabalhadores   participaram do encontro. A Frente, que conta com mais de 260 parlamentares entre deputados federais e senadores, já realizou encontros em Curitiba e Fortaleza com coordenação da ABIT e agora esteve em São Paulo, por solicitação do Sinditêxtil-SP.

O diretor Superintendente da ABIT, Fernando Pimentel, ressaltou o apoio da Frente Parlamentar aos pleitos do setor. “Ela é o fio condutor de todos os debates que travamos com o Executivo e será de grande importância, por exemplo, na aprovação da MP 540 (criação do REINTEGRA) e da MP 541 (incentivos à inovação e ao investimento) que ainda tramitam no Congresso”, disse. “Estamos presenciando um processo acelerado de desintegração e desindustrialização da nossa cadeia produtiva”, alertou Pimentel ao apresentar um panorama do setor têxtil e de confecções. “Nos últimos sete anos o crescimento das importações de vestuário foi de 423%”, destacou o executivo.

Alfredo Emílio Bonduki, presidente do Sinditêxtil-SP, enfatizou a necessidade de aprovar a resolução 72, que regulamenta a cobrança de ICMS pelos estados nas operações de importação e de vendas interestaduais, o que acabaria com a guerra fiscal. “O ICMS praticado em São Paulo é um dos mais altos do País. Estamos ilhados e isso enfraquece a posição da nossa indústria”, salientou Bonduki. A resolução 72 está na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal e depois de aprovada segue para o Plenário do Senado
.
A audiência pública contou ainda com a participação do deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), coordenador geral da Frente, que afirmou o empenho do grupo em defender a indústria têxtil e de confecção. “Precisamos de mecanismos e de uma política econômica que diminua a taxa de juros no Brasil. Nossos produtos têm qualidade, capacidade de design e um nível de inovação que fazem inveja a muitos países”, comentou o parlamentar. “Temos a responsabilidade de proteger a indústria têxtil do Brasil. Vamos cruzar todo o território nacional com esse movimento parlamentar”, afirmou o deputado federal Vanderlei Macris (PSDB-SP), coordenador da Frente “José Alencar” em São Paulo.

A reunião, que também comemorou o Dia do Profissional Têxtil, teve a presença dos deputados estaduais Cauê Macris (PSDB-SP) e Antônio Mentor (PT-SP), o deputado federal Guilherme Campos (DEM-SP), além do presidente do Sindivestuário, Ronald Masijah, e da presidente da Conaccovest, Eunice Cabral, entre outros.