NOTÍCIAS
 

Setor têxtil paulista deve gerar 30 mil postos de trabalho em 2010

O setor têxtil paulista representa, significativamente, a cadeia têxtil nacional. Em 2009, São Paulo teve faturamento de quase US$14 bilhões e investiu cerca de US$ 380 milhões. Já em 2010 bateu o recorde de investimento com o valor de US$ 746 milhões (até outubro), devendo chegar a US$ 1 bilhão até dezembro. Esses dados foram apresentados durante Coletiva de Imprensa realizada pelo Sinditêxtil-SP, em 09/12.

Na categoria geração de empregos, o Sindicato estima um crescimento expressivo de pessoas trabalhando com carteira assinada, em relação a 2009. No período de janeiro a outubro deste ano, a soma estava em 22.129 mil registros e deve chegar à casa dos 30 mil até o final do ano. Em 2009 o setor demitiu mais de do que empregou e encerrou o ano passado com déficit do estoque de empregos de 247.

O atual presidente do Sinditêxtil-SP, Rafael Cervone, falou sobre geração de empregos, importação e exportação de produtos têxteis, mercado interno e comércio varejista, além de mostrar os investimentos feitos pelo governo em toda a cadeia têxtil de São Paulo. Além disso, Rafael apresentou aos jornalistas, o novo presidente do Sinditêxtil-SP, Alfredo Bonduki, que inicia seu mandato a partir do ano que vem.

Rafael também abordou a questão da Balança Comercial de São Paulo, que deve fechar 2010 com um déficit de aproximadamente U$ 678 mi. A maior queda desde 2004, em que o número era de U$ 90 mi positivos. A partir de 2005, este valor foi caindo até chegar ao atual.

Bonduki falou sobre as metas de atuação do sindicato em 2011, sendo dentre elas: correções e distorções do Pró-Emprego e similares, financiamento de linhas estaduais e BNDES, melhoria nas relações trabalhistas e na infraestrutura, criação de índices justos para as leis ambientais, parcerias com universidades do exterior para a capacitação de profissionais do setor, introdução de um sistema de coleta de resíduos e reciclagem no Brás e Bom Retiro, criação de um parque tecnológico na Zona Leste e no interior de São Paulo, desoneração tributária e outros. Também foram apresentadas metas de emprego, faturamento, produção, importação e exportação para o ano que vem.

Se o PIB do Brasil alcançar entre 3% e 4%, Bonduki estima que produção de têxteis em São Paulo crescerá 4% e a venda interna 5,5%. Já a importação será elevada para 22% (atingindo 249 mil t) e a exportação 4,8% (alcançando 71,7 mil t). Por fim, o faturamento pode alcançar US$ 15 bilhões. Apesar do forte aumento das importações e continuidade do déficit comercial, o aquecimento interno de 2011, embora menor que em 2010, poderá representar uma geração líquida de até 10 mil empregos.

Bonduki ainda anunciou que já contratou um Instituto de Pesquisa que irá levantar em detalhes os dados da cadeia têxtil do Estado de São Paulo. “Fizemos o primeiro levantamento que foi da Região de Americana. Agora, para o próximo ano, vamos fazer uma varredura do Estado. Com esses números em mãos será mais consistente nossas negociações e proposições ao governo” explicou.

Para ver a apresentação completa, clique aqui.