NOTÍCIAS
 
 

Governo  de São Paulo promove Linhas de Fomento para as empresas do setor
Sinditêxtil-SP fecha parceria e consegue carta de crédito pré-aprovado a 90 empresas

Com o objetivo de impulsionar o crescimento e reter as empresas no estado de São Paulo, o governo, através da Agência de Fomento Paulista (Nossa Caixa Desenvolvimento) está criando linhas especiais para as indústrias paulistas, de porte médio e pequeno, e fazendo parceria com Sindicatos patronais para  fornecer crédito pré-aprovado para os associados.
Assim, a  Agência de Fomento fechou parceria com o Sinditêxtil-SP e, através de um mailing fornecido pelo Sindicato, a Agência já pré-aprovou créditos para cerca de 90 empresas. Nesta terça-feira 13, em reunião com essas empresas, na sede do Sindicato, elas receberam em mãos a Carta de Crédito com o valor pré-aprovado e uma série de informações sobre as linhas oferecidas. “Isso me animou, pois ficou bem prático. Eliminou uma série de reuniões e burocracia, pois, sabendo do montante que eles estão disponibilizando para mim,  a gente pula uma etapa e já parte para negociação. Eles parecem mais ágeis” declarou Franklin Miranda, da Santa Constância. No entanto, Miranda disse que, embora oportuno para várias empresas paulistas, a primeira impressão é de que a linha para investimentos é mais vantajosa que de Capital de Giro. “Pelo menos para o tamanho da nossa empresa, o Progeren do BNDES é mais vantajoso, pois a gente fala direto com o BNDES, não precisamos falar com agente financeiro, e não há cobrança de IOF”.  Já para empresas como a Cambuci, o Capital de Giro foi o que mais atraiu. “Gostei. Tem muita coisa interessante, e achei a linha para Capital de Giro bem competitiva. Já a linha para financiar máquinas, não achei tão interessante, pois há a necessidade de nacionalizar a máquina importada antes de pegar o financiamento. Prefiro o Finimp, mesmo com o prazo mais curto e dívida em moeda estrangeira” explica Reginaldo B. de Souza, da Cambuci.
De fato, quando se trata de linhas de crédito, cada cabeça é uma sentença. Ou seja, a depender do porte, balanço, liquidez,  garantias,  prazo e do montante,  o mesmo crédito pode sair mais barato ou mais caro para empresas diferentes no mesmo agente financeiro. “ A expectativa era que as taxas da Agência fossem mais atraentes, mas há margem para negociação em função do nosso perfil. Cada empresa deve buscar o que é melhor para ela. É uma pesquisa diária, por isso é importante ter opções” conclui Miranda.

Captação no Exterior deve ficar mais cara

Captar no exterior  está muito atraente, em função do volume de crédito disponível, taxas em baixa e pouca burocracia. No entanto, essa história pode mudar, pois o governo brasileiro estuda formas de evitar trazer mais dólares para o mercado, valorizando ainda mais o Real. É isso que esclarece Ramiro S. Palma, da Anfra. “O setor financeiro mudou muito nos últimos cinco anos. Ficou menos burocrático e as taxas melhoraram. Hoje encontramos taxas iguais aos da Europa antes da crise, mas ainda é caro.  Eu capto lá fora, não gasto dinheiro com tantas certidões exigidas aqui, mas com a possível mudança de prazo (para mais de três anos) para isenção do IOF (em 6%), pode ficar menos atrativo pegar empréstimo no exterior.  Eu já conhecia a Agência de Fomento e tenho um projeto pré-aprovado para expandir a minha empresa e é bem possível que a gente feche”.

Pequenas e Médias são o foco da Agência

Segundo o diretor de negócios da Agência de Fomento Paulista, Claudio de Oliveira Torres, os desembolsos têm crescido significamente desde que a Agência foi criada, há três anos, em função da agilidade, pouca burocracia e taxas competitivas para empresas que faturam entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões. “A missão da Agência é impulsionar as empresas paulistas para que elas gerem emprego em renda no Estado. Por isso, somos práticos, pouco burocráticos  e temos que oferecer o que os Bancos privados não oferecem. Nosso foco são as pequenas e médias empresas”.
“É importante os empresários terem opções, principalmente de agências de fomento. Outros estados já tinham suas agências, faltava São Paulo. Fizemos essa parceria e temos certeza que eles farão o melhor pelos nossos associados” declarou o presidente Alfredo Emilio Bonduki durante o encontro com as empresas.
A Agência opera em três linhas de fomento: Capital de giro, máquinas e projetos de desenvolvimento.  Para empresas com faturamento a partir de R$ 360 mil, os juros são a partir de 0,41% ao mês + IPC, e o prazo até 120 meses com 24 de carência.  As empresas podem fazer simulação no site www.agenciadefomentopaulista.com.br  e entrar em contato com o Sinditêxtil-SP  (tatiana@sinditextilsp.org.br ) para atendimento especial.