Matérias

Fraldas com não tecidos de alta performance garantem absorção por mais tempo

02/05/2018

Para evitar o vazamento, umidade ou qualquer desconforto aos bebês, a Freudenberg Performance Materials, empresa do Grupo Freudenberg, fornece aos seus clientes da América do Sul e do Norte não tecidos com alto desempenho para as camadas de distribuição e superior das fraldas, conhecida como Acquisition and Distribution Layer (ADL). 

Para atender especialmente as demandas específicas do mercado de higiene pessoal, a empresa desenvolveu um ADL de última geração. “Antigamente, as fraldas não possuíam tecnologia avançada, prejudicando seu desempenho. Agora, os consumidores brasileiros e mundiais estão mais atentos à qualidade e exigem que seus bebês permaneçam secos o maior tempo possível”, explica Allan Alves, head da área de novos negócios e marketing estratégico da empresa. “Nosso não tecido ADL especial é o coração da fralda, e aumenta significativamente sua performance”, completa. O produto pode ser encontrado em fraldas infantis e geriátricas e também em absorventes femininos. 

Seja menina ou menino, a urina concentra uma grande quantidade de líquido em uma pequena área. Para garantir que o fluido seja absorvido o mais rápido possível, é necessário um sistema de alta tecnologia, que distribua o líquido pela superfície da fralda, utilizando todo o núcleo, e ainda sirva como uma barreira que evita seu retorno e, consequentemente, o desconforto do bebê. 

Processo de absorção - Em primeiro lugar, uma cobertura suave para a pele absorve a umidade. A camada ultrafina subjacente, também conhecida como uma camada de distribuição assegura o rápido e uniforme espalhamento do líquido por toda a fralda. A camada subjacente pode absorver várias vezes o seu próprio peso de líquido. Chamados de superabsorventes consistem em polímeros de alta tecnologia (principalmente na forma de pó), que incham quando o líquido é absorvido, transformando-se em um gel, garantindo que não seja liberado, mesmo sob pressão. Desta forma, a urina se concentra e não se espalha. 

Para se ter ideia do benefício que pode ser obtido, uma criança precisa de cinco a seis fraldas por dia. Isto corresponde a cerca de 4.500 fraldas em dois anos e meio. Dependendo do seu tamanho, a capacidade de uma fralda pode ser de até 500 mililitros. Uma fralda sem ADL precisaria ser trocada mais vezes ao dia, pois o absorvente não seria capaz de sugar doses intensas de líquido. Isso resultaria em um número significativamente maior de fraldas sendo consumidas e descartadas. Ou seja, o uso de uma camada de distribuição também contribui para a sustentabilidade. 

“O mais importante para os pais é que nenhum líquido escape principalmente à noite, além do encaixe ser ideal para não interferir no movimento da criança. Nós buscamos melhorar permanentemente a ADL e durante o processo conseguimos reduzir a quantidade de material usado sem comprometer o desempenho”, finaliza Alves.

 


TAGS: fralda, absorção, não tecido