Matérias

Sinditêxtil-SP apresenta Retalho Fashion para a nova gestão da Amlurb

10/02/2017

Luiz Arthur Pacheco, presidente do Sinditêxtil-SP, visitou nesta quinta-feira (9),  a sede da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) para apresentar e discutir o Retalho Fashion – projeto que visa a formalização do trabalho de catadores e reaproveitamento dos resíduos têxteis descartados na região do Brás e Bom Retiro, situadas na capital paulista. O presidente do órgão, Edson Tomaz de Lima, e o diretor de Planejamento, Monty Dahan, receberam Pacheco e se mostraram receptivos ao projeto e devem prosseguir com o tema nesta nova gestão.

A região do Bom Retiro, em São Paulo (SP), possui 1200 confecções que produzem 20 toneladas de resíduos têxteis por dia. Atualmente, a coleta destes trapos é realizada de forma desorganizada e sem preocupação com a preservação ambiental. Para reverter essa situação, o Sinditêxtil-SP criou o Retalho Fashion.

Há cerca de cinco anos o Sindicato busca viabilizar o Projeto Retalho Fashion com a Prefeitura de São Paulo, porém, a cada troca de prefeito ou secretários, a iniciativa volta à estaca zero.

Luiz Arthur Pacheco, presidente do Sinditêxtil-SP, juntamente com equipe do Sindicato visitam a sede da Amlurb

Entraves da sustentabilidade

No dia 2 de fevereiro, foi vetado o Projeto de Lei 657/2013, solicitado pelo Sinditêxtil-SP ao Deputado Chico Sardelli (PV), que se tornou autor do Projeto. O PL daria incentivo para as empresas que utilizassem matéria-prima reciclada para novos produtos têxteis. A alegação do governador foi de inconstitucionalidade.

“Estamos frustrados com essa decisão do governador, pois mais uma vez São Paulo descartou um instrumento que poderia incentivar as empresas recicladoras e, principalmente, recuperar, ainda que pouco, a competitividade da indústria têxtil paulista. Vários Estados do Brasil ignoram as formalidades do CONFAZ para dar incentivo às suas empresas, mas São Paulo prefere evitar tal situação, mesmo que isso custe o fechamento de empresas e a perda de empregos dos paulistas. A seguir assim, São Paulo vai continuar se desindustrializando”, comenta Luiz Arthur Pacheco, presidente do Sinditêxtil-SP.

Luta contra o veto

No dia 7 de fevereiro, o Sinditêxtil-SP se reuniu com o deputado e coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Têxtil e de Confecção Paulista,  Chico Sardelli (PV), para colocar em pauta a estratégia de derrubar o veto, além de tratar de outros temas que impactam na competitividade do setor paulista. 


TAGS: amlurb, sinditextil-sp, retalho fashion, nova gestão