Matérias

Tecidos de juta da Castanhal desfilam na passarela de Flavia Aranha no SPFW47

30/04/2019

A nova coleção da estilista Flavia Aranha, que fez sua estreia no São Paulo Fashion Week, no dia 27 de abril, apresentou o resultado de um trabalho pioneiro de utilização de duas bases em juta da Castanhal Companhia Têxtil tradicionalmente usadas em outros segmentos: a Arraiolo, usada tradicionalmente na confecção de tapetes e outros itens de decoração, e a I-33, utilizada em decoração, bolsas, cintos e afins.  Reconhecida como referência em moda sustentável no Brasil, Flavia é especialista em tingimento natural e na utilização de materiais orgânicos em suas coleções.

Look em Juta Castanhal no desfile de Flavia Aranha no SPFW N47// Foto: Fotosite

"O resultado do experimento realizado pela Flavia Aranha, que conferiu novo toque e leveza às bases, abriu um viés para novas utilizações da juta que veio para ficar, pois a moda valoriza cada vez mais seus diferenciais de sustentabilidade: é natural, biodegradável, orgânica e pesticide free", comentaCelia Pinho, Executiva de Novos Negócios da Castanhal.

Aplique em Juta Castanhal com bordado no desfile de Flavia Aranhano SPFW N47// Foto: Fotosite

Juta - Cultivada na região Amazônica por cerca de 15 mil famílias ribeirinhas, a fibra de juta é 100% sustentável no seu plantio e no seu processamento. A Castanhal Companhia Têxtil, maior processadora de fibra de juta do Brasil, oferece ao mercado uma matéria-prima de qualidade, versátil e totalmente integrada ao bioma amazônico, sem provocar queimadas ou desmatamentos e sem a utilização de agrotóxicos, herbicidas ou fungicidas, com adubação natural feita pelo húmus deixado pelas cheias dos rios amazônicos. Tudo isso confere à Castanhal as certificações de preceito orgânico pela BCS Oko, Fairtrade (comércio sustentável, justo e solidário) e Pestice Free.


TAGS: castanhal, juta, spfw n47, flavia aranha