Matérias

Brasil no rumo certo

04/02/2020

O presidente do Sinditêxtil-SP, Luiz Arthur Pacheco, participou do almoço oferecido pela FIESP ao presidente Jair Bolsonaro no dia 3 de fevereiro e que reuniu cerca de 250 representantes de diversos setores econômicos. Durante o encontro, Paulo Skaf, presidente da FIESP, afirmou que a entidade apoia o atual governo. “Apoiamos seu governo porque enxergamos com clareza que estamos no rumo certo”, disse Skaf, referindo-se às reformas estruturais recentes, como a da Previdência, e as futuras reformas tributária e administrativa. Skaf ainda citou a reforma trabalhista e a alteração das NRs como um dos grandes propulsores na criação de mais de 1 milhão de empregos nos últimos cinco meses.  Já na questão dos juros, elogiou a escalada de baixa, mas reforçou a necessidade dos bancos ajustarem seus "spreads" para que os juros mais baixos cheguem na ponta para as operações dos empresários. 

Em seu discurso, o presidente do Brasil ratificou o crescimento da economia e a importância de aumentar a competitividade das empresas. “E os números mostram que o Brasil está no caminho certo. Todos estão ajudando o Brasil a ocupar o lugar de destaque no mundo”disse.  “Como técnico do time, quem tem de entrar no campo são os 22 ministros e, na área econômica, meu apoio incondicional ao ministro Paulo Guedes. (...) “O Brasil não está dando certo. O Brasil já deu certo”, finalizou.

Paulo Skaf, presiente da FIESP, apresenta o presidente do Sinditêxtil-SP, Luiz Arthur Pacheco, ao presidente Bolsonaro.
Paulo Skaf apresenta o presidente do Sinditêxtil-SP, Luiz Arthur Pacheco, a Jair Bolsonaro

Para o presidente Pacheco, havia um clima mais otimista entre os empresários claramente mostrado durante o almoço. "As falas do presidente Bolsonaro e também do Skaf reforçam o caminho de retomada do desenvolvimento econômico e estabilidade dos números, o que favorece nossa expectativa de Brasil alcançar, finalmente,  um crescimento econômico sutentável. Essa foi a principal mensagem que, de certo, trará forte aspirações  para a nossa indústria têxtil de São Paulo, como também para a indústria do Brasil como um todo". 

Preocupação no ar

"Apesar do apoio do Executivo à agenda do Legislativo, apoiando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em priorizar a Reforma Tributária, precisamos ficar muito atentos com o tipo de Reforma que vai entrar para votação - o que ainda não se sabe -  e o tipo que irá sair. Não pode haver aumento de carga tributária para o empresariado", alertou Pacheco. 

Participaram também do almoço na FIESP os ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, Abraham Weintraub, da Educação, a secretaria de governo, general Luiz Eduardo Ramos, do gabinete institucional, general Augusto Heleno, a secretária especial de Cultura, Regina Duarte, e o senador Flávio Bolsonaro e o deputado Eduardo Bolsonaro.


TAGS: Bolsonaro, almoço Fiesp, Fiesp